Domingo, 11 de Abril de 2021
(86)99825-8592-998501346
Cidades Juiz decreta prisão

Juiz decreta prisão domiciliar da mãe de Izadora Mourão, advogada assassinada em Pedro II

Juiz decreta prisão domiciliar da mãe de Izadora Mourão, advogada assassinada em Pedro II

11/03/2021 18h26
831
Por: Júnior repórter
Juiz decreta prisão domiciliar da mãe de Izadora Mourão, advogada assassinada em Pedro II
Juiz decreta prisão domiciliar da mãe de Izadora Mourão, advogada assassinada em Pedro II

O juiz Diego Ricardo Melo de Almeida, da 2ª Vara da Comarca de Pedro II, concedeu prisão domiciliar a Maria Nerci dos Santos Mourão, acusada de participar da morte da filha, a advogada Izadora Mourão, assassinada a facadas no dia 13 de fevereiro. A decisão foi dada nessa quarta-feira (10).

O pedido foi feito pelo Ministério Público do Estado do Piauí e acatado pelo magistrado que considerou a idade de Maria Nerci e o fato dela ser a única responsável pelos cuidados do seu outro filho que é incapaz.

Com a decretação da prisão domiciliar, Maria Nerci fica proibida de manter qualquer contato com as testemunhas apontadas na denúncia, inclusive por meio telefônico, de sair de sua residência no período noturno, a partir das 18 horas até às 6 horas do dia seguinte, salvo se para tratamento médico, ambulatorial ou hospitalar, realizados na cidade para si ou seu filho devendo, para tanto, ser comunicado o Conselho Tutelar.

Irmão e mãe no banco dos réus

Na mesma decisão que decretou a prisão domiciliar de Maria Nerci, o juiz recebeu, em todos os seus termos, a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Estado do Piauí contra o jornalista João Paulo Santos Mourão e a mãe, Maria Nerci dos Santos Mourão, acusados de homicídio triplamente qualificado praticado contra a advogada Izadora Santos Mourão. No homicídio qualificado, a pena prevista é a de reclusão de 12 (doze) a 30 (trinta) anos de cadeia.

João Paulo e Maria Nerci foram apontados pelo Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa – DHPP – com os responsáveis pelo assassinato da advogada, que foi morta com sete golpes de faca, a maioria deles desferidos no pescoço da vítima que sequer teve chances de defesa.

Morte da advogada

Izadora Santos Mourão, 41 anos, foi assassinada com pelo menos sete facadas dentro de casa, no município de Pedro II, no dia 13 de fevereiro deste ano. A princípio, circulou a informação de que ela teria sido morta por uma mulher, que sequer foi identificada.

Prisão do irmão

O irmão de Izadora, João Paulo Mourão, foi preso na tarde desta segunda-feira (15), acusado de assassinar a advogada a facadas. A Polícia Civil prendeu o jornalista em flagrante em sua residência na cidade de Pedro II.

Fonte: GP1

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.