Sábado, 31 de Outubro de 2020
(86)99825-8592-998501346
Política Alvo de mandado

Alvo de mandado de prisão preventiva, prefeito de Itaueira permanece foragido

Alvo de mandado de prisão preventiva, prefeito de Itaueira permanece foragido

22/09/2020 22h31
779
Por: Júnior repórter
Alvo de mandado de prisão preventiva, prefeito de Itaueira permanece foragido
Alvo de mandado de prisão preventiva, prefeito de Itaueira permanece foragido

Alvo de mandado de prisão de preventiva, expedido pelo Tribunal de Justiça, o prefeito de Itaueira, Quirino Avelino (PTB), permanece foragido. Equipes do Gaeco, em parceria com a Polícia Civil e Polícia Militar, estão no município desde o início da manhã desta terça-feira(22) com objetivo de efetuar a prisão. 

Além do prefeito, as equipes também tentam localizar o secretário municipal de Obras, Gaston de Sousa Cavalcante e o empresário Edivá de Sousa Cavalcante. 

Por meio de nota, enviada por sua assessoria, o prefeito Quirino Avelino afirmou que recebeu com 'incredulidade' o mandado de prisão preventiva e que considera a ação 'arbitrária e autoritária', além de questionar o fato da mesma ser realizada em período eleitoral. 

Ainda na nota, Quirino Avelino diz que sempre conduziu a gestão do município com transparência e diz que está 'colhendo a documentação necessária para os devidos esclarecimentos'.

Confira a nota na íntegra:

Uma ação com viés político e perseguidor, feita arbitrária e autoritária, sem oportunizar o direito legal de defesa ou esclarecimentos, em pleno período eleitoral. Assim foi a decreto de prisão do prefeito de Itaueira, Quirino Avelino, 78 anos, ocorrida hoje, dia 22.  

O prefeito sempre conduziu a gestão com transparência, idoneidade e zelo pela coisa pública. E foi com incredulidade que o mesmo se deparou com tal medida de prisão preventiva e afastamento do cargo. 

O prefeito está colhendo a documentação necessária para os devidos esclarecimentos e que os fatos sejam elucidados, estando disponível à Justiça.

O Tribunal de Justiça do Piauí determinou a prisão preventiva do prefeito de Itaueira, Quirino Avelino; do Secretário de Obras do Município, Gaston de Sousa Cavalcante; e dos empresários Jeremias Pereira da Silva e Edivá de Sousa Cavalcante. Os mandados estão sendo cumpridos na manhã desta terça-feira (22) pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado(GAECO/MPPI), em conjunto com a Polícia Militar e a Polícia Civil. 

Os quatro são alvos da Operação Perpetuatio, deflagrada na semana passada e que identificou os crimes de fraude a licitações e desvio de dinheiro púbico. De acordo com as investigações, o esquema seria liderado pelo prefeito de Itaueira. 

Até agora, foi realizada a prisão do empresário Jeremias Pereira da Silva, e diligências estão sendo realizadas no sentido de efetuar a prisão dos demais. 

O GAECO também deu cumprimento ao mandado de afastamento de Quirino Avelino do cargo de Prefeito Municipal de Itaueira, tendo sido notificado o Presidente da Câmara Municipal para dar posse imediata ao vice-Prefeito do Município, Patrice Teixeira, para continuidade das atividades do Município.

Aos 78 anos, Quirino Avelino está atualmente em seu sexto mandato à frente da prefeitura de Itaueira. 

Denúncia

O GAECO também ofereceu denúncia criminal por organização criminosa liderada pelo Prefeito Municipal e outros envolvidos, imputando a esses também os crimes de desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro, dentre outros.

 Foram denunciados Quirino de Alencar Avelino, Edivá de Sousa Cavalcante, Gaston de Sousa Cavalcante, Maria de França Avelino, Genival Joaquim de Moura, Eliene Helena dos Santos Moura, Roberto Lima de Farias, Jeremias Pereira da Silva, Francisco Vieira da Silva e Raimundo Fagner Siqueira Bueno.

Os valores desviados já contabilizados superam a marca de R$ 1,7 milhão. Outros contratos ainda estão sendo auditados, para totalizar o valor desviado pela organização criminosa.

Natanael Souza( Com informações do Ministério Público)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.